Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

'Um nome para mim'



Meu nome chama-se poesia.
Vivo em um poema de amor e dor,
entre as noites e os dias,
flertando com o ar do mundo.

Sou, sim, o silêncio de uma longa solidão
e a força de um lindo amor pousado ao peito,
uma mão dativa, lábios para os beijos
e o que inda sobrar-me de bom dentre os desejos.

Em minha casa mora a saudade,
uma inquilina estranha e cheia de liberdade
porque chega e sai sem me deixar aviso.

Meu nome chama-se poesia.
Meu mundo é o poema onde eu moro
cheio dos versos que ignoro, mas os amo quando os publico.


Paulino Vergetti Neto
Publicado no Recanto das Letras em 02/12/2008
Código do Texto: 1314434
Postar um comentário

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

'Um nome para mim'



Meu nome chama-se poesia.
Vivo em um poema de amor e dor,
entre as noites e os dias,
flertando com o ar do mundo.

Sou, sim, o silêncio de uma longa solidão
e a força de um lindo amor pousado ao peito,
uma mão dativa, lábios para os beijos
e o que inda sobrar-me de bom dentre os desejos.

Em minha casa mora a saudade,
uma inquilina estranha e cheia de liberdade
porque chega e sai sem me deixar aviso.

Meu nome chama-se poesia.
Meu mundo é o poema onde eu moro
cheio dos versos que ignoro, mas os amo quando os publico.


Paulino Vergetti Neto
Publicado no Recanto das Letras em 02/12/2008
Código do Texto: 1314434
Postar um comentário