Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 14 de dezembro de 2008

'Poema? Teorema?'




- Ao poeta Afonso Estebanez -


Não sei dizer do lado mais bonito...
Sequer bem deslindar um teorema;
mas sei, nasce de um ponto o que é infinito
e que o amor... É sempre um gran dilema.

Amar é entregar-se ao pleno rito
de insanidade da paixão extrema.
Por ela, o peito jaz em paz, contrito.
Por ela, nos trucida a dor suprema.

É quando vem, de manso, a poesia,
despida de conceito ou geometria,
e nos conduz ao chão da liberdade.

E o verso nasce alheio ao desencanto,
a rima torna o verbo suave canto...
E quem verseja adentra a eternidade!


Patrícia Neme
Postar um comentário

domingo, 14 de dezembro de 2008

'Poema? Teorema?'




- Ao poeta Afonso Estebanez -


Não sei dizer do lado mais bonito...
Sequer bem deslindar um teorema;
mas sei, nasce de um ponto o que é infinito
e que o amor... É sempre um gran dilema.

Amar é entregar-se ao pleno rito
de insanidade da paixão extrema.
Por ela, o peito jaz em paz, contrito.
Por ela, nos trucida a dor suprema.

É quando vem, de manso, a poesia,
despida de conceito ou geometria,
e nos conduz ao chão da liberdade.

E o verso nasce alheio ao desencanto,
a rima torna o verbo suave canto...
E quem verseja adentra a eternidade!


Patrícia Neme
Postar um comentário