Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 21 de dezembro de 2008

'ESBOÇO '



É sempre em mim a púrpura,
Do vinho que quisera ter tomado,
da vida que pudera ter vivido.
Divagam em mim ébrios
Da grande paixão não concedida.

A face inglória de um anjo amorfo
bebe do instante
Em que exalei vida,
não arte.

Se a dor antiga
Tem a prerrogativa
De a cada golpe
Se recompor, se imitar,
Há ainda aberto ao meu furor
O eco renascido de minha mágoa.

Mas se amar vem do ensaio
Vem do sal,
Resta a mim
A face em branco,
e o árduo ofício de esculpir
as dunas.

(Fernando Campanella)
Postar um comentário

domingo, 21 de dezembro de 2008

'ESBOÇO '



É sempre em mim a púrpura,
Do vinho que quisera ter tomado,
da vida que pudera ter vivido.
Divagam em mim ébrios
Da grande paixão não concedida.

A face inglória de um anjo amorfo
bebe do instante
Em que exalei vida,
não arte.

Se a dor antiga
Tem a prerrogativa
De a cada golpe
Se recompor, se imitar,
Há ainda aberto ao meu furor
O eco renascido de minha mágoa.

Mas se amar vem do ensaio
Vem do sal,
Resta a mim
A face em branco,
e o árduo ofício de esculpir
as dunas.

(Fernando Campanella)
Postar um comentário