Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

'Perdoe-me...'


(Claude Theberge)

Perdoe-me por amar-te de repente,
Esquecendo-me que o amor é troca,
E eu egoísta pensei em mim somente,
Fazendo questão da sua atenção devota...

Perdoe-me por não ter compreendido,
Que o amor acima de tudo é respeito,
E por uma vaidade desmedida,
Ter apunhalado o seu peito...

Perdoe-me por ser essa criança,
Tão carente dos carinhos seus,
Por não ter acatado a confiança,
Que você sempre mereceu...

Perdoe-me ainda, por amar-te demais,
E num momento confuso com esse amor,
Dizer-te coisas banais,
Causando em nós uma imensurável dor.

Mas só quem ama como eu é capaz,
De quantas vezes for preciso,
Pedir-te perdão uma vez mais,
Pra ter você comigo...
-Sempre!

((Valquíria Cordeiro))
09/03/2008
Postar um comentário

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

'Perdoe-me...'


(Claude Theberge)

Perdoe-me por amar-te de repente,
Esquecendo-me que o amor é troca,
E eu egoísta pensei em mim somente,
Fazendo questão da sua atenção devota...

Perdoe-me por não ter compreendido,
Que o amor acima de tudo é respeito,
E por uma vaidade desmedida,
Ter apunhalado o seu peito...

Perdoe-me por ser essa criança,
Tão carente dos carinhos seus,
Por não ter acatado a confiança,
Que você sempre mereceu...

Perdoe-me ainda, por amar-te demais,
E num momento confuso com esse amor,
Dizer-te coisas banais,
Causando em nós uma imensurável dor.

Mas só quem ama como eu é capaz,
De quantas vezes for preciso,
Pedir-te perdão uma vez mais,
Pra ter você comigo...
-Sempre!

((Valquíria Cordeiro))
09/03/2008
Postar um comentário