Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Felicidade



Acumulei tesouro de esperança
No tímido segredo de minh'alma.
Tudo, porém, fugiu,
Irreparavelmente,
Por alguma recôndita ferida
Que o desencanto abriu,
Como a serragem se escoa
Duma boneca de pano...

Tentei prender a ventura
Nestas tristes mãos vazias,
Como o sedento que enche
As mãos crestadas e ardentes
Da linfa clara da fonte.
Mas, os dedos não puderam
Reter essa água corrente.


Helena Kolody
Postar um comentário

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Felicidade



Acumulei tesouro de esperança
No tímido segredo de minh'alma.
Tudo, porém, fugiu,
Irreparavelmente,
Por alguma recôndita ferida
Que o desencanto abriu,
Como a serragem se escoa
Duma boneca de pano...

Tentei prender a ventura
Nestas tristes mãos vazias,
Como o sedento que enche
As mãos crestadas e ardentes
Da linfa clara da fonte.
Mas, os dedos não puderam
Reter essa água corrente.


Helena Kolody
Postar um comentário