Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

'Onde estiver...'



Onde repousa a rosa do teu coração,
é lá que eu quero construir o meu altar;
e ante o sacrário, no extravaso da emoção,
aos céus direi o quanto é bom poder te amar.

Aos céus direi, em riso, em prece, em oração,
que, enfim, minh'alma vislumbrou o seu lugar;
que as horas tristes... A amargura.. Lá se vão...
Em ti floresço, em ti, sou rio entregue ao mar.

E qual a lua, que acalenta a madrugada,
qual a viola, que apascenta a nostalgia,
qual a manhã, que encobre a noite de agonia...

Hei de ofertar-te a paz que fez, de mim, morada...
E em meus poemas, com textura de jasmim...
Terás teu leito, meu amor... Será assim!


- Patricia Neme -
(Uma resposta a 'Segunda rosa de Sarom', de A. Estebanez.)
Postar um comentário

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

'Onde estiver...'



Onde repousa a rosa do teu coração,
é lá que eu quero construir o meu altar;
e ante o sacrário, no extravaso da emoção,
aos céus direi o quanto é bom poder te amar.

Aos céus direi, em riso, em prece, em oração,
que, enfim, minh'alma vislumbrou o seu lugar;
que as horas tristes... A amargura.. Lá se vão...
Em ti floresço, em ti, sou rio entregue ao mar.

E qual a lua, que acalenta a madrugada,
qual a viola, que apascenta a nostalgia,
qual a manhã, que encobre a noite de agonia...

Hei de ofertar-te a paz que fez, de mim, morada...
E em meus poemas, com textura de jasmim...
Terás teu leito, meu amor... Será assim!


- Patricia Neme -
(Uma resposta a 'Segunda rosa de Sarom', de A. Estebanez.)
Postar um comentário