Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Ipê Amarelo



Vida, é o inesperado nome da menina,
Em pés descalços na minha cozinha
O vestido, um campo de girassóis
Os louros cabelos em desalinho.

Pela janela passa uma borboleta,
Cores, furta cores..multi cores
Sobre o muro um canário canta
Douradas notas musicais aladas.

- Pegue um pãozinho Vida!
Ela pega, alegre, e vai embora
O riso cristalino se distanciando

Lá fora a tarde cai no horizonte
E o ipê amarelo do vizinho
Pingou o dia todo em meu quintal
Um tapete bordado, flor a flor.

É como se Midas tocasse o dia
E tudo em ouro se transmutasse

Doce sensação em meu coração...

É novembro, é primavera, o sol se põe..
E a vida sorriu para mim!

Lenise Marques

Postar um comentário

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Ipê Amarelo



Vida, é o inesperado nome da menina,
Em pés descalços na minha cozinha
O vestido, um campo de girassóis
Os louros cabelos em desalinho.

Pela janela passa uma borboleta,
Cores, furta cores..multi cores
Sobre o muro um canário canta
Douradas notas musicais aladas.

- Pegue um pãozinho Vida!
Ela pega, alegre, e vai embora
O riso cristalino se distanciando

Lá fora a tarde cai no horizonte
E o ipê amarelo do vizinho
Pingou o dia todo em meu quintal
Um tapete bordado, flor a flor.

É como se Midas tocasse o dia
E tudo em ouro se transmutasse

Doce sensação em meu coração...

É novembro, é primavera, o sol se põe..
E a vida sorriu para mim!

Lenise Marques

Postar um comentário