Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 17 de março de 2009

Canção de Remar



Doce peso
desta sonolência,
leve cadência
de amor e desprezo.

Lua mansa,
pedaço perdido
do anel partido
de alguma esperança.

Grande estrela
toda desfolhada
na água parada
para recebê-la.

Noite fria,
sem desejo humano.
Brisa no oceano
Da melancolia.

Rosto sério
das ondas do mundo.
Bóiam no fundo
ramos de mistério.

( Doce peso
desta sonolência...
leve cadência
de amor e desprezo...)

Cecília Meireles
Postar um comentário

terça-feira, 17 de março de 2009

Canção de Remar



Doce peso
desta sonolência,
leve cadência
de amor e desprezo.

Lua mansa,
pedaço perdido
do anel partido
de alguma esperança.

Grande estrela
toda desfolhada
na água parada
para recebê-la.

Noite fria,
sem desejo humano.
Brisa no oceano
Da melancolia.

Rosto sério
das ondas do mundo.
Bóiam no fundo
ramos de mistério.

( Doce peso
desta sonolência...
leve cadência
de amor e desprezo...)

Cecília Meireles
Postar um comentário