Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

TÂNTALO DA DOR




Maldita, seja a Arte incompreendida
e a taça do Ideal que nos lacera...
os vinhos de luxúria e da quimera
e a báquica eclosão da luz dorida!

dos tântlos letais e da beleza,
da dúvida do mundo em meu pensar...
os ciclos turvos de íntimas tristezas
que nunca mais se vão para o luar!

Eo meu cismar romântico e amoroso,
é como um rio fundo rumoroso,
cheio de sombras e de estrelas d´oiro...

P´la maldição dessa sinistra incúria,
maldiz ao fel da vida, como agouro...
Maldita seja a serpe das luxúrias!

Ernani Rosas
Postar um comentário

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

TÂNTALO DA DOR




Maldita, seja a Arte incompreendida
e a taça do Ideal que nos lacera...
os vinhos de luxúria e da quimera
e a báquica eclosão da luz dorida!

dos tântlos letais e da beleza,
da dúvida do mundo em meu pensar...
os ciclos turvos de íntimas tristezas
que nunca mais se vão para o luar!

Eo meu cismar romântico e amoroso,
é como um rio fundo rumoroso,
cheio de sombras e de estrelas d´oiro...

P´la maldição dessa sinistra incúria,
maldiz ao fel da vida, como agouro...
Maldita seja a serpe das luxúrias!

Ernani Rosas
Postar um comentário