Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 11 de maio de 2010

MENSAGEM


Na última nuvem, quando morre o dia,
mando-te um sopro do meu pensamento
e vou seguindo a nuvem fugidia
nas linhas curvas do seu movimento.

Cai a noite e com ela mais se amplia
o horror deste infinito isolamento
o vento grita pela noite fria
mas nada exprime a longa voz do vento.

Nada dizem as folhas da ramada
não mais me encanta o eterno gorgolejo
da água que corre... A noite não diz nada.

Surge uma estrela e eu sinto, ao surpreendê-la
que mandas a mensagem do teu beijo
nessa pequena e solitária estrela.

Olegário Mariano


*OLEGÁRIO MARIANO CARNEIRO DA CUNHA
Nasceu em Recife, PE, em 24 de março de 1889,
e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 28 de novembro de 1958.
Poeta ,político e diplomata pernambucano.Brasil.Pertencia a ABL.
Postar um comentário

terça-feira, 11 de maio de 2010

MENSAGEM


Na última nuvem, quando morre o dia,
mando-te um sopro do meu pensamento
e vou seguindo a nuvem fugidia
nas linhas curvas do seu movimento.

Cai a noite e com ela mais se amplia
o horror deste infinito isolamento
o vento grita pela noite fria
mas nada exprime a longa voz do vento.

Nada dizem as folhas da ramada
não mais me encanta o eterno gorgolejo
da água que corre... A noite não diz nada.

Surge uma estrela e eu sinto, ao surpreendê-la
que mandas a mensagem do teu beijo
nessa pequena e solitária estrela.

Olegário Mariano


*OLEGÁRIO MARIANO CARNEIRO DA CUNHA
Nasceu em Recife, PE, em 24 de março de 1889,
e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 28 de novembro de 1958.
Poeta ,político e diplomata pernambucano.Brasil.Pertencia a ABL.
Postar um comentário