Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

circunflexo



O vôo circunflexo de uma ave,
ponto de exclamação e convergência
de um olhar mais que nítido: vazado.
(- E, transpassada por um vento externo e interno,
a praça, com janelas para a praça.)


Deixamos de esperar que alguma dança
perdoe nosso espaço alucinado.
O desenho dos gestos se extravia,
A dor se agrava, grava em nós seu mapa.


Pouco faltou para que nosso invento
tivesse sopro, fosse além do traço:
navegação, mais rápida que a barca,
ia tecendo sua própria água.


As linhas, uma a uma, caem mortas
Diante desta manhã, trava, aguçada
Pelas doces palavras desarmadas.


Rubens Rodrigues Torres Filho
In: O Vôo Circunflexo
Postar um comentário

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

circunflexo



O vôo circunflexo de uma ave,
ponto de exclamação e convergência
de um olhar mais que nítido: vazado.
(- E, transpassada por um vento externo e interno,
a praça, com janelas para a praça.)


Deixamos de esperar que alguma dança
perdoe nosso espaço alucinado.
O desenho dos gestos se extravia,
A dor se agrava, grava em nós seu mapa.


Pouco faltou para que nosso invento
tivesse sopro, fosse além do traço:
navegação, mais rápida que a barca,
ia tecendo sua própria água.


As linhas, uma a uma, caem mortas
Diante desta manhã, trava, aguçada
Pelas doces palavras desarmadas.


Rubens Rodrigues Torres Filho
In: O Vôo Circunflexo
Postar um comentário