Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 25 de maio de 2009

SONETO DO TRANSITÓRIO


Esta visão do tempo evanescente
o mistério de tudo denuncia:
sentimento do efêmero, pungente
apego ao que se esvai, lenta agonia


se a dor do transitório cinge a mente,
a alma, o ser, na crisálida sombria.
À luz morta do sonho, inconseqüente
sublimação do nada, a nostalgia


do que não foi senão sombra de ausência
na ânsia do eterno: chama transfundida
neste fluir da humana contingência


em que o tempo a si mesmo se devora
feito um breve clarão; e o dom da vida
é como um simples sopro; e se evapora...



Waldemar Lopes
In: Cinza de Estrelas
Postar um comentário

segunda-feira, 25 de maio de 2009

SONETO DO TRANSITÓRIO


Esta visão do tempo evanescente
o mistério de tudo denuncia:
sentimento do efêmero, pungente
apego ao que se esvai, lenta agonia


se a dor do transitório cinge a mente,
a alma, o ser, na crisálida sombria.
À luz morta do sonho, inconseqüente
sublimação do nada, a nostalgia


do que não foi senão sombra de ausência
na ânsia do eterno: chama transfundida
neste fluir da humana contingência


em que o tempo a si mesmo se devora
feito um breve clarão; e o dom da vida
é como um simples sopro; e se evapora...



Waldemar Lopes
In: Cinza de Estrelas
Postar um comentário