Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 11 de junho de 2010

CANÇÃO LAPIDAR

Era um caminho. Mudei-o
De lugar e ele morreu.
Nenhuma pedra me conta
Onde foi que ele nasceu.

Era uma pedra. Deixei-a
No lugar em que nasceu.
Nem ela ficou sabendo
De que caminho morreu.

Era o silêncio. Falei-o
Mas ele pronto esqueceu
Em que pedra, em que caminho
Nada mais me aconteceu...

Homero Frei
in "Lado Alado"


*HOMERO FREI, nsaceu em São Carlos- SP, em 25 de abril de 1924.
Homero Frei foi um autor reconhecido pela qualidade de seus sonetos e também pelo trabalho que desenvolveu como crítico literário.

Em “Só um homem só”, uma coletânea de contos e textos curtos, que contam passagens de vidas, fragmentos intensos e plenos de significado, demonstrou toda a habilidade de um autor que teve quatro livros de poesia publicados, também no terreno da narrativa.

A obra “Soneto Brancos” foi aclamada por Tristão de Athayde, que a seu respeito escreveu: “Não é objetivo. Nem subjetivo. Não é o seu Eu que encontro nesses poemas. Nem o mundo ambiente, sua paisagem, seus problemas. É a poesia como entidade entre o Eu e o Mundo. É dentro de duas medidas que eu chamaria de Metamorfose e de Multiversidade”.

Exerceu em São Carlos a função de diretor do Departamento de Educação e Cultura, chefe da Biblioteca Municipal, chefe do Museu e da Escola Maria Ramos.

Entre 1961 e 1967 foi Chefe da Seção de Instrução Primária, Educação e Cultura ( incluindo as escolas rurais) e também excepcionais. De 1968 a 1970 foi Chefe da Seção de Biblioteca, Museu histórico e Pinacoteca, responsável pela organização da Biblioteca, pelo ordenamento e catalogação dos livros.Em 1970 dirigiu o DEC e entre 1973 a 1983 foi Assessor do Conselho Municipal, em 1983 foi Assessor do DEC e em 1985 prestou serviços no Escritório Regional de Governo em São Carlos.

Homero Frei faleceu em 21 setembro de 2008.
Postar um comentário

sexta-feira, 11 de junho de 2010

CANÇÃO LAPIDAR

Era um caminho. Mudei-o
De lugar e ele morreu.
Nenhuma pedra me conta
Onde foi que ele nasceu.

Era uma pedra. Deixei-a
No lugar em que nasceu.
Nem ela ficou sabendo
De que caminho morreu.

Era o silêncio. Falei-o
Mas ele pronto esqueceu
Em que pedra, em que caminho
Nada mais me aconteceu...

Homero Frei
in "Lado Alado"


*HOMERO FREI, nsaceu em São Carlos- SP, em 25 de abril de 1924.
Homero Frei foi um autor reconhecido pela qualidade de seus sonetos e também pelo trabalho que desenvolveu como crítico literário.

Em “Só um homem só”, uma coletânea de contos e textos curtos, que contam passagens de vidas, fragmentos intensos e plenos de significado, demonstrou toda a habilidade de um autor que teve quatro livros de poesia publicados, também no terreno da narrativa.

A obra “Soneto Brancos” foi aclamada por Tristão de Athayde, que a seu respeito escreveu: “Não é objetivo. Nem subjetivo. Não é o seu Eu que encontro nesses poemas. Nem o mundo ambiente, sua paisagem, seus problemas. É a poesia como entidade entre o Eu e o Mundo. É dentro de duas medidas que eu chamaria de Metamorfose e de Multiversidade”.

Exerceu em São Carlos a função de diretor do Departamento de Educação e Cultura, chefe da Biblioteca Municipal, chefe do Museu e da Escola Maria Ramos.

Entre 1961 e 1967 foi Chefe da Seção de Instrução Primária, Educação e Cultura ( incluindo as escolas rurais) e também excepcionais. De 1968 a 1970 foi Chefe da Seção de Biblioteca, Museu histórico e Pinacoteca, responsável pela organização da Biblioteca, pelo ordenamento e catalogação dos livros.Em 1970 dirigiu o DEC e entre 1973 a 1983 foi Assessor do Conselho Municipal, em 1983 foi Assessor do DEC e em 1985 prestou serviços no Escritório Regional de Governo em São Carlos.

Homero Frei faleceu em 21 setembro de 2008.
Postar um comentário