Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 5 de setembro de 2009

FIM DE FESTA



Ensaio um assobio
mas a arvore enfadada pede que me cale.
Na noite os ramos tem sono,
o cansaço do ar esta parado.


De fato, vejo que a madrugada é muito antiga.
Em sua noz, minha alegria não altera o silencio,
O peso das portas que dormem.


Recolho o hálito de festa.
O frescor do mentol,
o ruído do sapato novo,
um passo deixando outro
- eis o que posso rescaldar no caminho de volta,
antes que amanheça.



Alcides Villaça
In: Viagem de Trem
Postar um comentário

sábado, 5 de setembro de 2009

FIM DE FESTA



Ensaio um assobio
mas a arvore enfadada pede que me cale.
Na noite os ramos tem sono,
o cansaço do ar esta parado.


De fato, vejo que a madrugada é muito antiga.
Em sua noz, minha alegria não altera o silencio,
O peso das portas que dormem.


Recolho o hálito de festa.
O frescor do mentol,
o ruído do sapato novo,
um passo deixando outro
- eis o que posso rescaldar no caminho de volta,
antes que amanheça.



Alcides Villaça
In: Viagem de Trem
Postar um comentário