Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Da Massa da Alma


XLVII

Tenho a alma feita de soluços
e dádivas sem recompensa
de matérias minerais sem substância
e substâncias sem matéria alguma.
Tenho a alma feita de piedade
da extensa e sobreposta que há no mundo
de destroços de geométricas ilusões
em verazes ferozes descampados.
Tenho a alma feita de meninos
e dos sonhos coloridos dos meninos
da aspiração (por fim) de não ser barro
mas as pedra que erige o tempo e o templo.

junho de 66


Álvaro Pacheco
In "Seleção de Poemas"(1984)
Postar um comentário

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Da Massa da Alma


XLVII

Tenho a alma feita de soluços
e dádivas sem recompensa
de matérias minerais sem substância
e substâncias sem matéria alguma.
Tenho a alma feita de piedade
da extensa e sobreposta que há no mundo
de destroços de geométricas ilusões
em verazes ferozes descampados.
Tenho a alma feita de meninos
e dos sonhos coloridos dos meninos
da aspiração (por fim) de não ser barro
mas as pedra que erige o tempo e o templo.

junho de 66


Álvaro Pacheco
In "Seleção de Poemas"(1984)
Postar um comentário